quinta-feira, 12 de novembro de 2015

Estandes com projetos dos campi do IF Sudeste MG são destaque no II Simepe

Os estandes ocupados pelos Campi no II Simepe foram uma atração à parte durante os três dias de evento. Neles foram expostos banners, projetos práticos e informações em geral sobre as unidades do IF Sudeste MG.
O Campus Barbacena trouxe ao Simepe os trabalhos artesanais desenvolvidos dentro do programa Mulheres Mil para exposição e também para venda. Também houve destaque para os cursos ofertados nos campi Santos Dumont e São João Del-Rei e para os projetos de extensão, como os ligados à Agroecologia, em Muriaé, e a oficina de produção de brinquedos a partir de materiais recicláveis, em São João Del-Rei.
O Campus Rio Pomba dedicou seu espaço ao Projeto Rondon. “Este é o maior projeto de extensão do país. Nós levamos estudantes universitários para regiões que não têm um desenvolvimento satisfatório e tentamos contribuir de alguma forma para o bem-estar da população local. Já passamos, por exemplo, por uma escola que não tinha condições de ministrar aulas e conseguimos revitalizá-la. Em outra ocasião, fizemos a limpeza do entorno de um rio muito poluído. São sempre 15 dias de trabalho voluntário de alunos e professores em período de férias, ou seja, é preciso muita motivação”, explica o professor Jonas de Paiva, que participou do projeto como aluno e hoje é o coordenador. “O que me motiva é ver os alunos sendo transformados por esta experiência. Eles ficam satisfeitos quando veem a missão comprida e dizem que querem voltar, mas a regra é que cada estudante só viaje uma vez”, destaca.
Quem passou pelo estande do Campus Juiz de Fora pôde conhecer o projeto da estação meteorológica de baixo custo e do robô desmantelador de artefatos explosivos, além do veículo off road, desenvolvido pela equipe Corsários Baja, formada por alunos do curso de Engenharia Mecatrônica. “O Baja existe desde 2011 e, com a participação em competições, estamos aprendendo com os erros. Observamos nossas falhas e as dos colegas e tentamos, a partir disso, aprimorar nosso veículo. Sempre há algo que uma outra equipe fez melhor e a gente quer adotar ou algo que a gente fez melhor e precisa melhorar mais ainda para que ninguém se iguale na competição. Ver que o Baja está tendo um destaque significativo no Simepe é muito positivo, pois divulgamos nosso campus tanto para a comunidade interna quanto para a externa, mostramos nosso trabalho e ganhamos apoio”, destacou o professor Denison Baldo, coordenador do curso de Engenharia Mecatrônica.
  Texto e imagem: Paula Faria