segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Palestra sobre estrutura dos IFs reforça importância regional da instituição

A estrutura dos Institutos Federais foi tema da última palestra do II Simepe. Para falar sobre o assunto, a equipe organizadora levou ao Campus Barbacena, no dia 11 de novembro, a doutora em Educação e professora da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Lucília Regina de Souza Machado. Com uma plateia formada por profissionais que atuam no IF Sudeste MG, ela reforçou a importância de os Institutos estarem voltados para a profissionalização de seus alunos com base na indissociabilidade dos eixos ensino, pesquisa e extensão.
Lucília lembrou que a criação dos Institutos Federais foi a principal ação de reordenamento da rede federal de educação nos últimos anos. Com um modelo inédito no mundo, os IFs surgiram como uma forma de interiorizar a educação a partir de cidades-polo, sempre em sintonia com os arranjos produtivos. Para tanto, são ofertados não somente cursos técnicos tradicionais, como acontecia nas escolas profissionalizantes já existentes, como também cursos de graduação e pós-graduação. A professora explica que a ideia é criar profissionais que possam atuar na região. “Tanto que a preocupação não ficou apenas na parte técnica. Também foram criados cursos de licenciatura para que houvesse qualificação dos profissionais que atuam nas escolas da região”.
Ela lembrou ainda que a gestão dos IFs também é diferenciada. Devido sua aproximação com os arranjos produtivos da localidade em que está, a instituição precisa desenvolver suas ações sempre com base no contato com as políticas públicas desenvolvidas por outros setores da economia regional. “É preciso ter uma gestão social e responsabilidade com os recursos aplicados nos projetos a serem desenvolvidos”.
Texto: Lidiane Souza