segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Mestrado Profissional apresentará soluções para Educação Profissional e Tecnológica

Um curso de pós-graduação stricto sensu dedicado especificamente ao ensino profissional é um caminho inequívoco para a compreensão e o aprimoramento do trabalho desenvolvido pelos Institutos Federais no Brasil. Desta ideia surgiu o projeto de Mestrado Profissional em Educação Profissional e Tecnológica (ProfEPT), elaborado por um grupo de trabalho do Fórum Nacional de Dirigentes de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação (Forpog). Aprovada pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior(Capes), a iniciativa tem a perspectiva de oferta semipresencial a partir de agosto de 2017, com a participação direta, em rede, de 18 Institutos Federais. 
Na intenção de apresentar o programa e dirimir dúvidas, o coordenador-geral do ProfEPT, professor Rony Freitas (Instituto Federal do Espírito Santo), o pró-reitor de Pesquisa e Inovação do IF Sudeste, professor Frederico Franco, e a diretora de Pesquisa e Pós-Graduação, professora Beatriz Gonçalves (também coordenadora acadêmica local do ProfEPT), conversaram com servidores na tarde desta segunda-feira (12) durante o III Simpósio de Ensino, Pesquisa e Extensão (Simepe) do IF Sudeste, em Rio Pomba.
"As questões metodológicas são as mais evidentes. Temos uma vasta teoria sobre como devem ocorrer as práticas em salas de aula, mas poucas coisas com foco na Educação Profissional e Tecnológica. Ao entrar na instituição, um docente deixa de ser, por exemplo, um engenheiro e passa a ser professor sem nunca ter lido ou discutido sobre como ele deve se comportar em um espaço educacional", explicou o professor Rony, que salientou o fato de novos professores habitualmente não terem acesso a relatos de experiências exitosas por escassez de publicações na área.
"Além da parte metodológica, outra questão importante é compreender o que é a Educação Profissional e Tecnológica, o que acontece nesse espaço e diferencia, por exemplo, nosso ensino de outras modalidades de educação básica", completou o professor do Ifes. A ideia de gerar soluções a partir do Mestrado Profissional está, por exemplo, na obrigatoriedade de que os projetos defendidos pelos estudantes tenham aplicabilidade imediata.
O professor Frederico, integrante do grupo de trabalho do Forpog, esclareceu questões especificamente relacionadas ao  IF Sudeste, que terá a atuação de 11 docentes no programa e polo de educação em Rio Pomba. A expectativa é de que sejam disponibilizadas pela instituição 22 vagas na primeira turma, destinadas a professores, técnico-administrativos e público externo. A seleção acontecerá por meio do Exame Nacional de Acesso, previsto para abril do próximo ano.

Texto e imagens: Daniel Leite
12-09-2016