quarta-feira, 14 de setembro de 2016

Professora da UFLA ministra palestra sobre formação de empreendedores na Educação Tecnológica

A programação matutina desta quarta-feira no âmbito de Ensino do III Simepe do IF Sudeste reservou ao público uma reflexão sobre a preparação para o empreendedorismo que as instituições de Educação Tecnológica oferecem a seus estudantes. Pós-doutora pela École des Hautes Études Commerciales, do Canadá, a professora Ana Alice Vilas Boas, da Universidade Federal de Lavras (UFLA), ministrou palestra sobre o tema no Campus Rio Pomba.
Com a experiência de já ter orientado e acompanhado diversas teses e dissertações no contexto do Empreendedorismo, Ana Alice compartilhou com os alunos e servidores as diferentes aplicações do conceito. Existem, por exemplo, as versões comunitária, social e de setor público do Empreendedorismo, o que amplia a noção de que empreendedor é apenas e obrigatoriamente o administrador de uma empresa cujo único objetivo é o lucro.

Outro conceito relevante tratado pela professora foi o de "Intraempreendedorismo", que remete a, por exemplo, o funcionário de uma empresa capaz de propor e criar, ou seja, que vai muito além da simples execução de tarefas. Assim, as instituições de ensino, especificamente no âmbito da Educação Tecnológica, devem ter o compromisso de preparar seus alunos também para empreender (o que não é necessariamente criar uma empresa), associando esta habilidade ao domínio técnico de sua área de formação.

Estágio, intercâmbio, visitas técnicas, projetos de extensão e empresas juniores são exemplos de iniciativas trabalhadas pelo IF Sudeste e que podem facilitar o desenvolvimento do estudante neste aspecto. "Numa empresa júnior, o aluno vai vivenciar as mesmas experiências pelas quais ele passará se abrir uma empresa depois, ou trabalhar em outra empresa. Se ele for gerente de projetos, por exemplo, isso vai servir de experiência. A gente guarda melhor o que vive, e as empresas juniores são muito importantes neste contexto", detalhou a professora.

Ana Alice ainda opôs o chamado ensino tradicional e o aprendizado empreendedor, que associa teorias a experimentos, estudos de caso. Um bom exemplo é o do professor que trabalha com seus alunos de Ensino Médio no Campus Rio Pomba o projeto "Lindo Vale Ambiental", que estimulou até a criação de um aplicativo para smartphone (conheça-o aqui).

"Acho que os professores de todas as áreas podem fazer alguma coisa em vez de simplesmente passar conteúdo e provas. É interessante ter atividades (práticas), que o aluno vivencia. Todos os professores podem estimular isso, criar algo como uma cultura empreendedora entre as pessoas envolvidas", reforçou Ana Alice.
Texto e imagem: Daniel Leite
14-09-2016