quarta-feira, 5 de junho de 2019

Hackathon propõe ferramentas tecnológicas para desafios do IF Sudeste MG


Uma maratona desafiou os estudantes do IF Sudeste MG a criarem soluções tecnológicas para otimizar as atividades institucionais desenvolvidas em todos os campi. Durante os três dias do V Simpósio de Ensino, Pesquisa e Extensão (Simepe), realizado em Santos Dumont, de 4 a 6 de junho, sete equipes formadas por alunos de vários cursos de graduação devem criar uma ferramenta que possibilite facilitar o acesso a serviços e informações, melhorar a comunicação, otimizar tarefas, reduzir desperdícios e gerar dados para tomada de decisão.
O Hackathon IF Inteligente reúne, também, um grupo de mentores. São profissionais que atuam no gerenciamento de projetos do Centro Regional de Inovação e Transferência de Tecnologia (Critt), da Fundação de Apoio e Desenvolvimento ao Ensino, Pesquisa e Extensão, ambos da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF); representantes de empresas de startups e professores e servidores da área de tecnologia da informação do IF Sudeste MG. Todos acompanham a maratona, prestando assessoria aos participantes.
O desafio não é restrito aos estudantes de cursos de tecnologia. Outras áreas também são contempladas, bastando apenas o interesse em participar. Kerolin Araújo é aluna do curso de Gestão Ambiental do Campus Barbacena e viu no Hackaton uma oportunidade de mostrar seu perfil empreendedor no desenvolvimento de um negócio. Ela confessa que se sentiu “uma estranha no ninho”, mas durante o desenvolvimento do trabalho a integração entre todos os membros da equipe aconteceu de forma natural. “Estamos num ambiente bastante sinérgico, cada um contribuindo com seu talento. Não só de programação vive um projeto tecnológico, há também outras frentes como pesquisa de mercado, gestão de projetos, marketing, dentre outros. A lição maior disso tudo é saber trabalhar de forma integrada e promover um intercâmbio de conhecimento”. 
Para a estudante Melissa Botelho, do curso de Ciência da Computação do Campus Rio Pomba, o Hackathon é uma oportunidade de conhecer o conhecimento produzido em toda a instituição. “A interação e a troca de ideias entre os estudantes de ouros campi foi o ponto alto do desafio, além, é claro, das lições que tivemos de como consolidar uma ideia e desenvolver projetos”, explica. 
 
De acordo com a diretora do Núcleo de Inovação e Transferência de Tecnologia do IF Sudeste MG (Nittec), Flávia Ruback, a proposta do Hackathon está alinhada com ações institucionais de capacitação de recursos humanos em empreendedorismo, gestão da inovação, transferência de tecnologia e propriedade intelectual. “Nosso objetivo é fomentar a cultura do empreendedorismo, inovação e geração de startups na comunidade acadêmica, incentivar os alunos a resolverem problemas reais através de soluções criativas, inovadoras e empreendedoras de alto impacto para a sociedade e capacitando a comunidade interna em metodologias e técnicas que contribuam para a geração de startups”.
Pedro Farnese
05-06-2019