sexta-feira, 7 de junho de 2019

Solenidade celebra dez anos do IF Sudeste MG e encerra V Simepe em Santos Dumont

Institutos Federais: dez anos transformando vidas. A tarde de quinta-feira (6) associou o V Simpósio de Ensino, Pesquisa e Extensão e a comemoração oficial da primeira década de vida do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais. O Campus Santos Dumont recebeu a solenidade que reuniu diversas autoridades civis e militares, ex-reitores e pró-reitores e atuais gestores da instituição, resgatou os dez anos da história de uma educação emancipadora e também premiou destaques do V Simepe, realizado de 4 a 6 de junho. Precisamente, o IF Sudeste MG completou dez anos em dezembro de 2018, mas as celebrações se estenderam até o primeiro semestre deste ano.


O evento prestou homenagem a todas as pessoas que ocuparam cargos de gestão e contribuíram diretamente para o desenvolvimento do IF Sudeste MG em sua primeira década. Receberam troféus os autores (ou seus representantes) de nove trabalhos técnico-científicos do Simepe, nos eixos Ensino, Pesquisa e Extensão, além dos vencedores do concurso de inovação “Hackathon – IF Inteligente”, em que estudantes dedicaram três dias à busca de soluções para a instituição, e do “Curta IF”, que propôs a produção de filmes curtas-metragens tratando do IF como um agente transformador de vidas. A página simepe.ifsudestemg.edu.br disponibilizará a relação completa dos ganhadores.

A visão dos gestores

Os três reitores que o IF Sudeste MG já teve discursaram na solenidade: os professores Mário Sérgio Costa Vieira (reitor de 2009 a 2013), Paulo Rogério Araújo Guimarães (de 2013 a 2017) e Charles Okama de Souza (de 2017 até hoje). Mário Sérgio destacou, por meio de uma associação histórica, o potencial que têm os Institutos de abrir portas para pessoas de todas as camadas sociais.

“Faço um paralelo dos Institutos Federais com a Revolução Universitária de Córdoba ocorrida na Argentina em 1918”, associou o professor Mário Sérgio, “quando alunos daquela universidade saíram às ruas em protesto, reivindicando uma mudança nos rumos do ensino superior da Argentina. Os estudantes pediam uma universidade voltada para os anseios e necessidades da população e que não atendessem somente à elite intelectual, financeira e eclesiástica do país, exigindo uma maior abertura para todas camadas sociais argentinas”.

Paulo Rogério resgatou, com satisfação, o que foi realizado na década inicial do IF Sudeste MG. “Vejo com muito orgulho o que construímos, saindo de um ponto em que não tínhamos uma referência clara. Acreditávamos que criaríamos uma instituição que transformaria a realidade de muitas cidades da região e estamos conseguindo fazer isso. Rever todos os amigos que ajudaram nesse processo de construção traz muito orgulho. Todos nós devemos nos unir em defesa dessas instituições”, pediu o ex-reitor.

"Os Institutos Federais não são mais um projeto de governo", acrescentou o atual reitor, professor Charles Okama, “mas são um projeto de estado, são do povo brasileiro. Devemos manter essa instituição com toda a capacidade de oferta que ela tem. Temos aqui a estrutura do Campus Santos Dumont como um simbolismo da transformação do IF Sudeste MG. Diante de todo o esforço que foi feito (para que a estrutura chegasse ao atual estágio), temos um sentimento de orgulho”.

Santos Dumont

De fato, o Campus Santos Dumont foi transformado nos últimos anos. A instituição que sediou o Simepe e o evento que celebrou oficialmente os 10 anos do IF Sudeste MG não apenas expandiu a oferta de cursos, mas também sua área útil, a partir da reforma do antigo pátio da extinta Rede Ferroviária Federal, onde foram realizadas praticamente todas as atividades do Simepe. Uma das autoridades que compareceram ao evento, aliás, participou do processo de criação do Campus Santos Dumont, ainda em 2010: o sandumonense Luiz Dulci, que foi ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República entre 2003 e 2010.

“Santos Dumont é uma cidade industrial, com fábricas criadas no fim do século XIX e no início do XX. Mas depois a cidade experimentou um período de certa decadência. Havia aqui todo um complexo ferroviário, com uma belíssima escola que formava profissionais muito respeitados no país inteiro, uma oficina de manutenção de vagões e uma série de outras estruturas ferroviárias. Quando a Rede Ferroviária foi extinta, quem é de Santos Dumont sentiu muita tristeza. Não só pelo fechamento, mas porque toda uma região da cidade estava se deteriorando”, relatou Dulci.

“Então a criação do IF em Santos Dumont foi uma dupla conquista”, completou o ex-ministro, “educacional, porque gera uma oportunidade extraordinária para a juventude de Santos Dumont e de toda a região, mas também urbanística, desse espaço, que estava ficando muito degradado. Hoje há uma série de empresas, pontos comerciais. Para nós, sandumonenses, o IF representa uma dupla alegria”.

Minha foto é 10

Uma das ações para celebrar os dez anos do IF Sudeste MG foi um concurso fotográfico em que estudantes e egressos mostraram seus olhares sobre a instituição. Após a primeira fase, em que as imagens foram postadas no Facebook e receberam as reações do público em geral, uma comissão avaliadora atribuiu pontuação às fotos, considerando critérios técnicos e de originalidade da ideia. As dez imagens mais bem avaliadas compuseram uma exposição durante o V Simepe, e seus autores foram premiados durante o evento.

A aluna Raila Andrade, do curso técnico em Química do Campus Barbacena, é a autora da foto que recebeu o maior número de interações positivas na rede social e também a maior pontuação da comissão “Eu ainda não tinha uma ideia de como seria a foto. Estava com uma amiga e vi o reflexo (da fachada da unidade) nos olhos dela. Ao tirar a foto, a proposta era passar meu olhar sobre o IF para as pessoas, de como o Campus Barbacena é maravilhoso”, contou Raila, que mostrou em sua foto um dos lugares mais marcantes do IF Sudeste MG.

“Todos os dias, quando passamos na fachada, ela está maravilhosa. Não importa o clima – sempre é bonito. Os alunos se reúnem ali – tem roda de conversa, música. Tornou-se um lugar importante para a gente”, concluiu. Como sua foto obteve os melhores índices do concurso, além da homenagem materializada por uma placa, a aluna ainda recebeu o troféu oficial do V Simepe, também entregue aos vencedores dos concursos e das categorias dos trabalhos técnico-científicos. O prêmio foi produzido no Campus Santos Dumont, por um centro de usinagem por comando numérico computadorizado. O suporte do troféu também foi confeccionado na unidade, por uma impressora 3D.

Integração e modernização

O evento teve ainda o lançamento do novo portal do IF Sudeste MG, que permitirá maior integração entre todas as unidades e mais eficiência na navegação para o usuário. A novidade foi anunciada pelo pró-reitor de Desenvolvimento Institucional, professor Aluísio de Oliveira, e detalhada pela equipe que desenvolveu o site. O Comitê de Comunicação e Marketing também apresentou, durante a solenidade, a revista digital produzida para celebrar os dez anos da instituição. 

No encerramento da solenidade, o cantor Dudu Costa, de Juiz de Fora, apresentou-se com um repertório de Música Popular Brasileira.
Daniel Leite
06/06/2019