terça-feira, 4 de junho de 2019

Veja como foi a apresentação de trabalhos técnico-científicos no primeiro dia do Simepe

A apresentação de trabalhos técnico-científicos é um dos mais tradicionais e importantes momentos do Simpósio de Ensino, Pesquisa e Extensão. Na ala lateral do Bloco 1 do Campus Santos Dumont, durante a tarde desta terça-feira, estudantes e servidores de todas as unidades do IF Sudeste MG descreveram a partir de seus pôsteres as etapas e resultados de projetos dos três eixos de atuação da instituição. Os trabalhos mais bem avaliados serão premiados na quinta-feira, durante a cerimônia de encerramento.
Um dos pontos mais interessantes dos trabalhos técnico-científicos do IF Sudeste MG é, sem dúvida, a capacidade de associar diversos elementos: observação da realidade, aplicação do conhecimento e benefício do público-alvo.  A "Meditação Aplicada ao Ensino no IF Sudeste MG", do Campus Rio Pomba, é um ótimo exemplo. Coordenado pelo professor Sérgio Muinhos, o trabalho foi apresentado pelo estudante Guilherme Daher, da graduação em Ciência da Computação.
Oferecido no Campus Rio Pomba e também na Reitoria, o projeto atende a estudantes, servidores e público externo com sessões de yoga e meditação. A proposta nasceu da constatação de que ansiedade e desatenção são elementos que limitam o desempenho de estudantes em sala de aula, por exemplo.
"A meditação é muito interessante para aumentar o foco do aluno, a concentração", avaliou Guilherme, "principalmente em disciplinas de Ciências Exatas. A gente vê muitos alunos tomando remédio para ansiedade nesses cursos. Então, a meditação trouxe resultados", contou Guilherme. Os questionários aplicados junto a servidores da Reitoria indicaram  diminuição expressiva entre aqueles que se consideravam ansiosos e com desatenção, na comparação entre o início e o fim do projeto em 2018.
Ainda no ano passado, os envolvidos no trabalho iniciaram o desenvolvimento de um aplicativo de meditação guiada para smartphone, de forma que a atividade seja possível também longe dos locais de sessão. A expectativa é de que o aplicativo fique disponível para download até o fim deste ano.
A tecnologia pode oferecer uma ferramenta importante também a produtores rurais da feira agroecológica de Muriaé, criada em 2018. Estudantes de Administração do campus local verificaram que a organização de informações seria muito útil aos produtores na tomada de decisão, mas também que eles ainda não aproveitam esses recursos.
O projeto, apresentado em Santos Dumont pelo aluno Ronan Teixeira, é coordenado pelo professor Junio Vasconcelos. "A informação é essencial para qualquer área, para atingir seus objetivos. Pensamos: será que os agricultores recorrem a algum sistema para gerenciar a produção deles? Percebemos que a maioria ainda utiliza no máximo o papel, para fazer anotações", relatou Ronan.
O estudante do Campus Muriaé acrescentou que este projeto representa apenas a primeira fase do processo, que pode ainda oferecer diretamente aos produtores os meios para que eles passem a utilizar um sistema confiável e eficiente. "A gente vê que a maior parte dos produtores tem computador em casa, mas muitos deles ainda não tem a capacitação para utilizar os softwares", finalizou o futuro administrador. A apresentação de pôsteres no Simepe segue até quinta-feira, 6 de junho.
Daniel Leite
04-06-2019